sexta-feira, 30 de setembro de 2011

Rural scene in Alles #3

Rural scene in Alles #3 by VRfoto
Rural scene in Alles #3, a photo by VRfoto on Flickr.

PEÑAMELLERA ALTA (Espanha): Rural scene in Alles.

See where this picture was taken. [?]

quinta-feira, 29 de setembro de 2011

Espigueiros do Lindoso #6

Espigueiros do Lindoso #6 by VRfoto
Espigueiros do Lindoso #6, a photo by VRfoto on Flickr.

LINDOSO (Ponte da Barca / Portugal): Espigueiros.

See where this picture was taken. [?]

quarta-feira, 28 de setembro de 2011

Espigueiros do Lindoso #5

Espigueiros do Lindoso #5 by VRfoto
Espigueiros do Lindoso #5, a photo by VRfoto on Flickr.

LINDOSO (Ponte da Barca / Portugal): Espigueiros.

See where this picture was taken. [?]

Junto ao Castelo levantam-se mais de cinquenta espigueiros dos séc. XVIII e XIX, num aglomerado impressionante e único no país. Inteiramente de pedra, cada exemplar apoia-se em vários pilares curtos, assentes na rocha e encimados por mós ou mesas. Sobre elas repousa o canastro, formado de balaustros entre si separados por fendas de ventilação.

info: alfarrabio.di.uminho.pt/

terça-feira, 27 de setembro de 2011

Espigueiros do Lindoso #4

Espigueiros do Lindoso #4 by VRfoto
Espigueiros do Lindoso #4, a photo by VRfoto on Flickr.

LINDOSO (Ponte da Barca / Portugal): Espigueiros.

See where this picture was taken. [?]

Situado em pleno coração do Alto Minho, numa das zonas dotadas de maior beleza natural, o território correspondente, na actualidade, ao concelho de Ponte da Barca (antiga "Torre da Nóbrega", "Terras da Nóbrega" ou, ainda, Anóbrega) distingue-se pela variedade da sua paisagem, em grande graças à presença do Rio Lima e da albufeira (natural) do Alto Lindoso, a maior da Península Ibérica. Mas também os enormes afloramentos graníticos não deixam de lhe conferir monumentalidade, ao mesmo tempo que uma personalidade fortemente vincada, transposta para as inúmeras estruturas erigidas ao longo dos tempos pelas mãos de quem soube escolher a região para sua permanência e sobrevivência, enquanto assistia ao desenrolar de alguns dos episódios mais relevantes da constituição e afirmação do reino português, testemunhado, por exemplo, pelo castelo afonsino, reconstruído já ao tempo de D. Dinis (1261-1325).
De entre as freguesias que compõem o termo de Ponte da Barca, sobressai a de Lindoso, amplamente conhecida pelos inúmeros espigueiros que ostenta. Com efeito, a par dos exemplares existente na Vila de Soajo, Lindoso destaca-se das demais localidades pela organização social e económica que caracterizou sempre as suas gentes, estruturadas em torno do princípio comunitário, tão particular das comunidades rurais.
Construídos de forma harmoniosa com a restante paisagem os sessenta e quatro espigueiros - perfazendo, deste modo, um dos mais notáveis conjuntos existentes no país - agrupam-se ao longo do declive do morro onde se ergue o castelo, sobranceiro à povoação e ao próprio Rio Lima, em torno de uma eira colectiva, entre grandes afloramentos graníticos, uma protecção natural valorizada por um muro tosco construído propositadamente para impedir a passagem do gado, num sítio originalmente baldio.

info: www.igespar.pt/

Espigueiros do Lindoso #3

Espigueiros do Lindoso #3 by VRfoto
Espigueiros do Lindoso #3, a photo by VRfoto on Flickr.

LINDOSO (Ponte da Barca / Portugal): Espigueiros.

See where this picture was taken. [?]

sábado, 24 de setembro de 2011

Espigueiros do Lindoso

Espigueiros  do Lindoso by VRfoto
Espigueiros do Lindoso, a photo by VRfoto on Flickr.

LINDOSO (Ponte da Barca / Portugal): Espigueiros.

See where this picture was taken. [?]

Junto ao Castelo levantam-se mais de cinquenta espigueiros dos séc. XVIII e XIX, num aglomerado impressionante e único no país. Inteiramente de pedra, cada exemplar apoia-se em vários pilares curtos, assentes na rocha e encimados por mós ou mesas. Sobre elas repousa o canastro, formado de balaustros entre si separados por fendas de ventilação.

info: alfarrabio.di.uminho.pt/

Ao cair da noite, em Alles... #2

PEÑAMELLERA ALTA (Espanha): Alles.

Alles, é uma pequena povoação com menos de 200 habitantes, capital do município de Peñamellera Alta, do Principado de Asturias.

See where this picture was taken. [?]

sexta-feira, 23 de setembro de 2011

Antigo telescópio

Antigo telescópio by VRfoto
Antigo telescópio, a photo by VRfoto on Flickr.

COIMBRA (Portugal): Antigo telescópio no Observatório Astronómico da Universidade de Coimbra.

See where this picture was taken. [?]

Castelo de Lindoso (b/w)

Castelo de Lindoso (b/w) by VRfoto
Castelo de Lindoso (b/w), a photo by VRfoto on Flickr.

LINDOSO (Ponte da Barca / Portugal): Castelo.

See where this picture was taken. [?]

Sobranceiro a terras de Espanha, em posição dominante na serra Amarela, sobre a margem esquerda do rio Lima, este castelo foi erguido de raiz, na Idade Média, com a função de vigília, defesa e marco de soberania da fronteira. Embora não tenha estado envolvido em grandes batalhas ou episódios de história militar, é considerado como um dos mais importantes monumentos militares portugueses, pelas novidades técnicas e arquitetónicas que ensaiou, à época, no país.

info: pt.wikipedia.org/

quinta-feira, 22 de setembro de 2011

Castelo de Lindoso #2

Castelo de Lindoso #2 by VRfoto
Castelo de Lindoso #2, a photo by VRfoto on Flickr.

LINDOSO (Ponte da Barca / Portugal): Castelo.

See where this picture was taken. [?]

O Castelo de Lindoso é um dos mais importantes monumentos militares portugueses, pela sua localização estratégica (tutelar sobre o curso do rio Lima junto à fronteira com Espanha, numa linha interior entre as serras da Peneda e do Gerês), mas também pelas novidades técnicas e estilísticas que a sua construção introduziu no panorama da arquitetura militar portuguesa medieval.
Apesar de ainda se discutir as suas origens, não restam grandes dúvidas de que a fortaleza medieval que se conservou até aos nossos dias é obra do reinado de D. Afonso III, uma vez que ela não aparece referida nas Inquirições de 1220 e, pelo contrário, é nomeada nas de 1258 (ALMEIDA, 1987, p.124). Paralelamente, a sua porta principal, de arco quebrado e virada à vila, ostenta a eixo o escudo do monarca, elemento propagandístico por excelência, mas também indicador claro do patrocínio e do marco histórico que a gerou.
O traçado das muralhas revela um perímetro relativamente pequeno e regular, contrariando alguma da tendência natural das fortificações românicas para se adaptarem às curvas de nível. As esquinas são propositadamente arredondadas, para evitar os ângulos "mortos" e permitir uma total visibilidade das zonas circundantes. A torre de menagem, por seu turno, é ainda rudimentar, de apenas dois pisos e de secção quadrangular bastante ampla, resultando num aspeto algo atarracado (IDEM, p.82), mas contendo acesso superior diretamente para o adarve, à maneira gótica. Estas características fazem dela uma obra de transição (…).
No século XVII, na mesma altura em que Portugal lutava pela restauração da sua independência, esta secção interior do Alto Minho foi particularmente importante nas incursões de um e de outro lado da fronteira, e o castelo foi dotado de um sistema militar mais complexo. As obras estariam concluídas por volta de 1666 (data inscrita no lintel de uma das portas), escassos três anos depois de ter sido conquistado por tropas espanholas e, de novo, reconquistado pelos portugueses. É de crer, no entanto, que esta empreitada se tenha arrastado por mais algumas décadas, pois data de 1720 a conclusão do principal revelim, aquele que protegia a entrada principal. O novo complexo defensivo atualizou a fortaleza, rodeando-a de uma estrutura em estrela, com altos taludes e fossos, e acesso por porta levadiça encimada por matacães.

info: www.igespar.pt/

Interior da Igreja do Ermelo

Interior da Igreja do Ermelo by VRfoto
Interior da Igreja do Ermelo, a photo by VRfoto on Flickr.

ERMELO (Arcos de Valdevez / Portugal): Mosteiro de Ermelo.

See where this picture was taken. [?]

Interior de nave única iluminado por quatro frestas, duas no lado da Epístola, uma no Evangelho e outra no frontispício; pórtico do lado do Evangelho entaipado, púlpito quadrangular, e dois altares colaterais de talha, postos de ângulo; teto em madeira de perfil curvo. Arco triunfal, apontado, com sanefa sobre impostas esculpidas; as colunas têm bases com losangos, garras e capitéis de folhagem. Na capela-mor fresta com colunas, mísulas e capitéis pintados, sendo encimada por representação do Padre Eterno e vêm-se atributos de São Tiago; retábulo de talha policroma com trono central e acesso para a sacristia onde também se conserva o arco do antigo absidíolo. Por trás do retábulo da capela-mor fresco, com sobreposição de pinturas, que cobre toda a parede com exceção da parte baixa que se encontra danificada.

info: www.monumentos.pt/

Santuário de Nossa Senhora da Peneda

ARCOS DE VALDEVEZ (Portugal): Santuário de Nossa Senhora da Peneda.

See where this picture was taken. [?]

O Santuário de Nossa Senhora da Peneda é um santuário localizado na freguesia de Gavieira, Arcos de Valdevez, Portugal, construído entre os finais do séc. XVIII e o terceiro quartel do séc. XIX.
A igreja foi terminada em 1875. Frente à igreja encontra-se o escadório das virtudes, com estátuas representando a Fé, Esperança, Caridade e Glória, datado de 1854, obra do mestre Francisco Luís Barreiros.

info: pt.wikipedia.org/

Interior da igreja matriz de Melgaço

MELGAÇO (Portugal): Interior da igreja matriz.

See where this picture was taken. [?]

INTERIOR com paredes rebocadas e pintadas de branco, pavimentado a soalho de madeira e lajes de cantaria nas capelas laterais, e tectos de madeira. Nave com tecto de madeira, de perfil curvo, assente em cornija, coro-alto de madeira, assente em quatro mísulas pétreas, com guarda em balaustrada de madeira envernizada, acedida por porta de verga recta no lado da Epístola, com escada a partir de porta no sob o coro que, simultaneamente permite o acesso à torre; no sub-coro, surge guarda-vento de madeira envidraçado, ladeado, no lado da Epístola, por pia de água benta, circular gomeada.

info: www.monumentos.pt/

Portal românico da Igreja Matriz de Monção

MONÇÃO (Portugal): Igreja Matriz de Monção.

See where this picture was taken. [?]

A fachada do templo é rasgada por um portal românico composto por três arquivoltas, decoradas por elegantes botões florais e motivos geometrizantes, assentes em seis colunelos com capitéis vegetalistas e dourados. Sobrepujando o portal rasga-se um óculo circular. Lateralmente, eleva-se uma quadrangular torre sineira, com cobertura posterior do século XVIII.

info: Igreja Matriz de Monção. In Infopédia [Em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2011. [Consult. 2011-07-27].
Disponível na www: www.infopedia.pt/

Catedral de Santiago de Compostela #3

SANTIAGO DE COMPOSTELA (Espanha): Catedral de Santiago de Compostela.

Twitter | Facebook | VMRibeiro

quarta-feira, 21 de setembro de 2011

Ilha do Farol

Ilha do Farol by VRfoto
Ilha do Farol, a photo by VRfoto on Flickr.

OLHÃO (Portugal): Ilha do Farol.

See where this picture was taken. [?]

Para além do óbvio, que é o bonito e cuidado farol que dá o nome à ilha, a também conhecida como Ilha da Culatra, é um local povoado de pequenas casinhas de pescadores que lhe dão a sua graça e nos recordam a riqueza do seu mar e da sua ria.
Um local único, banhado de um mar azul cristalino.

info: www.guiadacidade.pt/

domingo, 18 de setembro de 2011

Espigueiros do Soajo #6

Espigueiros do Soajo #6 by VRfoto
Espigueiros do Soajo #6, a photo by VRfoto on Flickr.

SOAJO (Arcos de Valdevez / Portugal): Espigueiros do Soajo.

See where this picture was taken. [?]

Mosteiro de Ermelo #3

Mosteiro de Ermelo #3 by VRfoto
Mosteiro de Ermelo #3, a photo by VRfoto on Flickr.

ERMELO (Arcos de Valdevez / Portugal): Mosteiro de Ermelo.

See where this picture was taken. [?]

Possivelmente, devido ao desafogo económico inicial, optou-se por uma planta de três naves e cabeceira de três capelas quadrangulares, sendo a central mais desenvolvida e alta que as laterais, seguindo o esquema cisterciense, conservando ainda vestígios nas arcadas que davam para os absidíolos. Este esquema não se concluiu e foi drasticamente reduzido para uma planta ocupando pouco mais do que o espaço projetado para a primitiva nave central. Parte da arcada, um pouco afastado da igreja confirma a grandiosidade do projeto inicial para as dependências conventuais que, entretanto, se devem ter restringido a algumas construções mais modestas adossadas à fachada S. da igreja, como comprovam os pingadouros ali existentes.

info: www.monumentos.pt/

Capela radiante da Catedral de León

LEÓN (Espanha): Vitrais e abóbada de uma capela radiante da Catedral de León.

See where this picture was taken. [?]

Capela radiante da Catedral de León #2

LEÓN (Espanha): Vitrais e abóbada de uma capela radiante da Catedral de León.

See where this picture was taken. [?]

sexta-feira, 16 de setembro de 2011

Espigueiros do Soajo #9

Espigueiros do Soajo #9 by VRfoto
Espigueiros do Soajo #9, a photo by VRfoto on Flickr.

SOAJO (Arcos de Valdevez / Portugal): Espigueiros do Soajo.

See where this picture was taken. [?]

O conjunto dos Espigueiros de Soajo (Arcos de Valdevez) compõem uma eira comunitária constituída por 24 espigueiros, todos em pedra e assentes num afloramento de granito. O mais antigo data de 1782. Alguns destes espigueiros são ainda hoje utilizados pela população.

Catedral de León #4

Catedral de León #4 by VRfoto
Catedral de León #4, a photo by VRfoto on Flickr.

LEÓN (Espanha): Catedral de Santa Maria.

See where this picture was taken. [?]

Espigueiros do Soajo #8

Espigueiros do Soajo #8 by VRfoto
Espigueiros do Soajo #8, a photo by VRfoto on Flickr.

SOAJO (Arcos de Valdevez / Portugal): Espigueiros do Soajo.

See where this picture was taken. [?]

Estes espigueiros, que constituem um resquício do espírito de grupo e da vida comunitária, distribuem-se, uns junto dos outros, pela superfície de um volumoso afloramento de granito, que serve de eira coletiva. São vinte e quatro espigueiros de tipo galaico-minhoto, de corpo baixo e alongado com construção em pedra, variando a forma dos esteios da cobertura, nas mesas e padieiros. Caracterizam-se pelas fendas verticais no canastro, pelos telhados de duas águas e pilares de sustentação.

quarta-feira, 14 de setembro de 2011

Espigueiros do Soajo #5

Espigueiros do Soajo #5 by VRfoto
Espigueiros do Soajo #5, a photo by VRfoto on Flickr.

SOAJO (Arcos de Valdevez / Portugal): Espigueiros do Soajo.

See where this picture was taken. [?]

Espigueiros do Soajo #4

Espigueiros do Soajo #4 by VRfoto
Espigueiros do Soajo #4, a photo by VRfoto on Flickr.

SOAJO (Arcos de Valdevez / Portugal): Espigueiros do Soajo.

See where this picture was taken. [?]

Estes espigueiros, que constituem um resquício do espírito de grupo e da vida comunitária, distribuem-se, uns junto dos outros, pela superfície de um volumoso afloramento de granito, que serve de eira coletiva. São vinte e quatro espigueiros de tipo galaico-minhoto, de corpo baixo e alongado com construção em pedra, variando a forma dos esteios da cobertura, nas mesas e padieiros. Caracterizam-se pelas fendas verticais no canastro, pelos telhados de duas águas e pilares de sustentação.

terça-feira, 13 de setembro de 2011

Espigueiros do Soajo #3

Espigueiros do Soajo #3 by VRfoto
Espigueiros do Soajo #3, a photo by VRfoto on Flickr.

SOAJO (Arcos de Valdevez / Portugal): Espigueiros do Soajo.

See where this picture was taken. [?]

O conjunto dos Espigueiros de Soajo (Arcos de Valdevez) compõem uma eira comunitária constituída por 24 espigueiros, todos em pedra e assentes num afloramento de granito. O mais antigo data de 1782. Alguns destes espigueiros são ainda hoje utilizados pela população.

Espigueiros do Soajo #2

Espigueiros do Soajo #2 by VRfoto
Espigueiros do Soajo #2, a photo by VRfoto on Flickr.

SOAJO (Arcos de Valdevez / Portugal): Espigueiros do Soajo.

See where this picture was taken. [?]

O conjunto dos Espigueiros de Soajo (Arcos de Valdevez) compõem uma eira comunitária constituída por 24 espigueiros, todos em pedra e assentes num afloramento de granito. O mais antigo data de 1782. Alguns destes espigueiros são ainda hoje utilizados pela população.

Catedral de León

Catedral de León by VRfoto
Catedral de León, a photo by VRfoto on Flickr.

LEÓN (Espanha): Catedral de Santa Maria.

See where this picture was taken. [?]

É, juntamente com a catedral de Burgos, uma das melhores representantes do gótico espanhol. Foi construída sobre edificações romanas e posteriores edificações cristãs, nomeadamente duas catedrais erigidas em estilo românico.
Com Afonso IX assiste-se a um desenvolvimento artístico e cultural no reino de Leão que leva à construção de uma terceira catedral em 1205 e que termina em 1301, ficando apenas a torre sul por terminar, o que vai acontecer no séc. XV.
A catedral foi alvo de várias intervenções ao longo dos séculos, pois os materiais da sua construção estavam longe de ser os de melhor qualidade. Ainda hoje prosseguem os trabalhos de restauro e manutenção, no reforço das estruturas e solos e tratamento da pedra.

segunda-feira, 12 de setembro de 2011

Espigueiros do Soajo b/w

Espigueiros do Soajo b/w by VRfoto
Espigueiros do Soajo b/w, a photo by VRfoto on Flickr.

SOAJO (Arcos de Valdevez / Portugal): Espigueiros do Soajo.

See where this picture was taken. [?]

Estes espigueiros, que constituem um resquício do espírito de grupo e da vida comunitária, distribuem-se, uns junto dos outros, pela superfície de um volumoso afloramento de granito, que serve de eira coletiva. São vinte e quatro espigueiros de tipo galaico-minhoto, de corpo baixo e alongado com construção em pedra, variando a forma dos esteios da cobertura, nas mesas e padieiros. Caracterizam-se pelas fendas verticais no canastro, pelos telhados de duas águas e pilares de sustentação.

domingo, 11 de setembro de 2011

Largo do Eiró no Soajo

Largo do Eiró no Soajo by VRfoto
Largo do Eiró no Soajo, a photo by VRfoto on Flickr.

SOAJO (Arcos de Valdevez / Portugal): Largo do Eiró.

See where this picture was taken. [?]

A praça principal da aldeia do Soajo (conhecida por Largo do Eiró) é presidida por
este pelourinho, com um simples esteio ao alto, muito próximo do habitual «tronco»
do século XIII. É um monumento tosco, de enorme valor histórico e etnográfico -
testemunho do tempo em que esta povoação serrana foi vila. A data da sua edificação
é incerta, embora o foral dado à vila por D. Manuel em 1514 possa lançar a sua
construção, iniciando a sua funcionalidade de marco jurisdicional. Mas segundo
António Martinho Baptista,[2] supõe-se que seja do século XVII, embora não se
fundamente em documentação que o sustente. A sua cronologia tardia é atribuída à
ausência de vestígios de guarnições de ferros.
O Pelourinho do Soajo é um dos mais singelos e interessantes, pela simultânea rudeza
e elegância. É constituído por uma base em três degraus, na qual assenta uma coluna
ovalada, sem base nem capitel, imperfeitamente sóbria e unicamente decorada por uma
carranca humana sorridente no topo junto ao fuste, onde termina uma lage triangular
a rematar.
Há uma tradição que atribui ao triângulo a representação do pão a esfriar na ponta
de uma lança. Mas a carranca também pode remeter para um chapéu tricorne. O povo do
Soajo perdeu de há muito o significado da gramática figurativa primitiva do seu
pelourinho. Atualmente, a simbologia do rodo é a explicação. Instrumento agrícola
utilizado para nivelar o milho novo nas eiras. É curioso que o lugar onde está o
pelourinho, e onde sempre esteve, chama-se Largo de Eiró, que nestas terras do norte
e nordeste significa o maior largo da aldeia, uma ampla eira.

info: pt.wikipedia.org/

Catedral de León

Catedral de León by VRfoto
Catedral de León, a photo by VRfoto on Flickr.

LEÓN (Espanha): Catedral.

See where this picture was taken. [?]

Espigueiros do Soajo

Espigueiros do Soajo by VRfoto
Espigueiros do Soajo, a photo by VRfoto on Flickr.

SOAJO (Arcos de Valdevez / Portugal): Espigueiros do Soajo.

See where this picture was taken. [?]

Estes espigueiros, que constituem um resquício do espírito de grupo e da vida comunitária, distribuem-se, uns junto dos outros, pela superfície de um volumoso afloramento de granito, que serve de eira coletiva. São vinte e quatro espigueiros de tipo galaico-minhoto, de corpo baixo e alongado com construção em pedra, variando a forma dos esteios da cobertura, nas mesas e padieiros. Caracterizam-se pelas fendas verticais no canastro, pelos telhados de duas águas e pilares de sustentação.

Ponte romana de Córdova

Ponte romana de Córdova by VRfoto
Ponte romana de Córdova, a photo by VRfoto on Flickr.

CÓRDOVA (Espanha): Ponte romana.

See where this picture was taken. [?]

Ponte sobre o rio Guadalquivir, construída no século I d.C., durante a época de domínio romano. Tem um comprimento de 331 metros e é composta por 16 arcos. Durante muito tempo foi um importante meio de entrada na cidade desde a zona sul, pois era a única a cruzar o rio sem qualquer tipo de embarcação. A torre defensiva que se vê em primeiro plano foi construída no período muçulmano.
Em 2004, a ponte converteu-se apenas ao uso de peões e ciclistas. Ao longo da sua história foi alvo de várias remodelações. A última (e a maior) terminou em 2008, obra do arquiteto Juan Cuenca Montilla. Esta remodelação, não isenta de polémica, procurou devolver à ponte o aspecto mais parecido com aquilo que seria o original.

sábado, 10 de setembro de 2011

Pelourinho do Soajo

Pelourinho do Soajo by VRfoto
Pelourinho do Soajo, a photo by VRfoto on Flickr.

SOAJO (Portugal): Pelourinho do Soajo.

See where this picture was taken. [?]

Trata-se de um monumento seiscentista, assente sobre três degraus quadrangulares escalonados, com coluna de fuste cilíndrico rematada por um capitel simbolizando o astro-rei, a que se sobrepóe uma placa de forma triangular.
Este pelourinho sofreu um acidente que o derrubou em 1980.

Largo do Pelourinho em Sortelha

SORTELHA (Sabugal / Portugal): Largo do Pelourinho.

See where this picture was taken. [?]

No Largo do Pelourinho concentram-se os monumentos mais importantes da vila: o Pelourinho, o Castelo e a antiga Casa da Câmara.
O pelourinho foi construído no século XVI, em estilo manuelino. Assenta num soco de seis degraus octogonais. A coluna apresenta fuste octogonal e encontra-se desprovida de base, apresentando um capitel anelado de secção circular.
O castelo foi construído no séc. XIII, tendo sido remodelado no século XVI.
A casa da Câmara e cadeia remonta ao tempo do rei D. Manuel I, quando outorgou o foral à Vila.

sexta-feira, 9 de setembro de 2011

Piódão

Piódão by VRfoto
Piódão, a photo by VRfoto on Flickr.

PIÓDÃO (Arganil / Portugal): Aldeia de Piódão.

See where this picture was taken. [?]

A serra de Açor é um local de árida beleza, com aldeias solitárias agarradas a vertentes íngremes. Piódão, abrigada num vale, é a mais notável dessas aldeias de xisto. Aparentemente remota, até finais do séc. XIX encontrava-se na principal estrada comercial entre Coimbra e a Covilhã, tendo ficado esquecida após a construção de novas estradas.
A Igreja Matriz destaca-se das pedras negras que a rodeiam.

quinta-feira, 8 de setembro de 2011

Parque Nacional Peneda Gerês

Parque Nacional Peneda Gerês by VRfoto
Parque Nacional Peneda Gerês, a photo by VRfoto on Flickr.

PARQUE NACIONAL PENEDA GERÊS (Portugal)

See where this picture was taken. [?]

Arriba em São Pedro de Moel

Arriba em São Pedro de Moel by VRfoto
Arriba em São Pedro de Moel, a photo by VRfoto on Flickr.

MARINHA GRANDE (Portugal): Arriba em São Pedro de Moel.

See where this picture was taken. [?]

Tabuleiro da Ponte da Cava da Velha

CASTRO LABOREIRO (Melgaço/Portugal): Ponte Nova ou da Cava da Velha.

See where this picture was taken. [?]

O tabuleiro tem cerca de 3 metros de largura, vencendo um vão total superior a 20 metros. Para reforçar o pilar e os proteger da força das águas, este possui contrafortes, talha-mar triangular a montante e talhante retangular a jusante.

info: pt.wikipedia.org/

quarta-feira, 7 de setembro de 2011

Farol do Penedo da Saudade #3

Farol do Penedo da Saudade #3 by VRfoto
Farol do Penedo da Saudade #3, a photo by VRfoto on Flickr.

MARINHA GRANDE (Portugal): Farol de São Pedro de Moel - Penedo da Saudade.

See where this picture was taken. [?]

Interior do Santuário de Nossa Senhora da Peneda

ARCOS DE VALDEVEZ (Portugal): Interior do Santuário de Nossa Senhora da Peneda.

See where this picture was taken. [?]

Interior de uma só nave e capela-mor, cobertas com abóbada de berço. Destaca-se o altar-mor, barroco, de grande riqueza decorativa, onde se expõe, sobre o sacrário, a venerada imagem da Senhora da Peneda.

terça-feira, 6 de setembro de 2011

Ponte da Cava da Velha #5

Ponte da Cava da Velha #5 by VRfoto
Ponte da Cava da Velha #5, a photo by VRfoto on Flickr.

CASTRO LABOREIRO (Melgaço/Portugal): Ponte Nova ou da Cava da Velha.

See where this picture was taken. [?]

Para além do inegável valor patrimonial do monumento (está classificado com o IIP - Dec. 1/86 de 3-1), a ponte da Cava da Velha, porque relacionável não apenas com a rede de comunicações vicinais a Sul de Castro Laboreiro, ligando designadamente os eixos de comunicação que servem as aldeias das margens direita e esquerda do vale do rio Laboreiro, como também com a rede viária regional minhoto-galaica que colocava Castro Laboreiro na ligação entre Melgaço ou Arcos de Valdevez e Bande (por Entrimo e Lobios), detem um inegável significado histórico-cultural local.

info: www.geira.pt/

Escadório das virtudes

Escadório das virtudes by VRfoto
Escadório das virtudes, a photo by VRfoto on Flickr.

ARCOS DE VALDEVEZ (Portugal): Escadório das virtudes no Santuário de Nossa Senhora da Peneda.

See where this picture was taken. [?]

Frente à igreja encontra-se o escadório das virtudes, com estátuas representando a Fé, Esperança, Caridade e Glória, datado de 1854, obra do mestre Francisco Luís Barreiros.

info: pt.wikipedia.org/

Closed door...

Closed door... by VRfoto
Closed door..., a photo by VRfoto on Flickr.

PONTE DE LIMA (Portugal): Porta da torre.

See where this picture was taken. [?]

Ponte da Cava da Velha #2

Ponte da Cava da Velha #2 by VRfoto
Ponte da Cava da Velha #2, a photo by VRfoto on Flickr.

CASTRO LABOREIRO (Melgaço/Portugal): Ponte Nova ou da Cava da Velha.

See where this picture was taken. [?]

A ponte da Cava da Velha é uma das três pontes de origem romana que, juntamente com as da Dorna e da Assureira, pontuam, actualmente, a estrada municipal 1160, ao longo do Rio de Castro Laboreiro. Ela ligava inicialmente a via romana que, da Portela do Homem, se dirigia a Laboreiro, e a sua existência justificou-se, ainda, pela proximidade em relação a uma fortaleza castreja, situada nas imediações, como forma de garantir o processo de romanização e de ataque das tropas romanas, em caso disso (RODRIGUES, 1985, p.22).
Na actualidade, a ponte compõe-se de dois arcos de volta perfeita, de largura desigual entre si, sendo o maior de 10,60m e o menor de apenas 1,70m. Uma tal discrepância atribui-se a uma segunda fase de obras por que o imóvel passou, pelos séculos XII ou XIII, campanha que conferiu o aspecto geral que a ponte hoje ostenta.
Com efeito, e à semelhança de uma grande maioria de pontes romanas, também esta foi alvo de uma reformulação na Baixa Idade Média, cujos elementos são bem visíveis. Enquanto que as partes baixas da estrutura e a curvatura do arco são executadas em silhares bem aparelhados e com aduelas almofadadas, características da cronologia romana da obra, o tabuleiro, com lajeado irregular e com guardas de cantaria menos cuidada, revela essa reforma medieval.
O mesmo contraste é perceptível em outros aspectos: os talhamares, "de perfil triangular a montante, e rectangular, a jusante" (RIBEIRO, 1998, p.172), recorrem também a um aparelho cuidado e muito regular, ao passo que o enchimento do arco e das enjuntas é efectuado com pedra miúda disposta horizontalmente mas com muitos orifícios. E o tabuleiro, ao organizar-se em cavalete de dupla rampa, é o mais claro indicador dessa campanha dos séculos XII-XIII.

info: www.igespar.pt/

Newest photos from the portfolio of Vector99

Search photos: by: Vector

VR Stock Photo

vmribeiro's gallery