sexta-feira, 28 de fevereiro de 2014

Interior da Igreja de Santa Maria do Castelo

CASTELO MENDO (Portugal): Interior da Igreja de Santa Maria do Castelo.

vmribeiro.net

quinta-feira, 27 de fevereiro de 2014

Interior da Igreja de Santa Maria do Castelo

CASTELO MENDO (Portugal): Interior da Igreja de Santa Maria do Castelo.

vmribeiro.net

O espaço interior, já desprovido de cobertura, apresenta uma nave segmentada mais ou menos a meio por uma parede transversal, onde foi inserida uma porta de lintel reto, encimada por uma fresta. No espaço junto ao portal observa-se uma pia de água benta semicircular e, no lado oposto, jaz a pia batismal de forma semiesférica e, ao lado, observa-se a base de uma coluna com motivos vegetalistas estilizados nos ângulos. No espaço mais próximo do arco triunfal conserva-se a base quadrada do púlpito e respetiva escada. O arco triunfal é quebrado e lateralmente existem ainda as mesas dos altares colaterais.

info: arte.vmribeiro.net/?s=mendo

quarta-feira, 26 de fevereiro de 2014

Igreja de Santa Maria do Castelo

CASTELO MENDO (Portugal): Igreja de Santa Maria do Castelo.

vmribeiro.net

Igreja de Santa Maria do Castelo

CASTELO MENDO (Portugal): Igreja de Santa Maria do Castelo.

vmribeiro.net

Igreja de Santa Maria do Castelo

CASTELO MENDO (Portugal): Igreja de Santa Maria do Castelo.

vmribeiro.net

Edificada provavelmente na primeira metade do século XIII, o templo encontra-se já representado nos desenhos de Duarte de Armas (séc. XVI). No século XVI construiu-se a capela lateral. Os acrescentos continuaram até à segunda metade do séc. XVIII. No século XIX a paróquia foi extinta, tendo-se iniciado aí a sua ruína.
A fachada principal, orientada a Oeste, apresenta um portal em arco pleno com duas arquivoltas e impostas salientes molduradas. Acede-se ao portal através de dois lanços de degraus de sentido oposto, formando patamar central. Sobre o portal observam-se quatro mísulas alinhadas. O campanário, de dupla abertura sineira e remate reto, encontra-se colocado no eixo da porta, cortando a empena angular.

info: arte.vmribeiro.net/?s=mendo

terça-feira, 25 de fevereiro de 2014

Igreja de Santa Maria do Castelo

CASTELO MENDO (Portugal): Igreja de Santa Maria do Castelo.

vmribeiro.net

Edificada provavelmente na primeira metade do século XIII, o templo encontra-se já representado nos desenhos de Duarte de Armas (séc. XVI). No século XVI construiu-se a capela lateral. Os acrescentos continuaram até à segunda metade do séc. XVIII. No século XIX a paróquia foi extinta, tendo-se iniciado aí a sua ruína.
A fachada principal, orientada a Oeste, apresenta um portal em arco pleno com duas arquivoltas e impostas salientes molduradas. Acede-se ao portal através de dois lanços de degraus de sentido oposto, formando patamar central. Sobre o portal observam-se quatro mísulas alinhadas. O campanário, de dupla abertura sineira e remate reto, encontra-se colocado no eixo da porta, cortando a empena angular.

info: arte.vmribeiro.net/?s=mendo

segunda-feira, 24 de fevereiro de 2014

Igreja de Santa Maria do Castelo

CASTELO MENDO (Portugal): Igreja de Santa Maria do Castelo.

vmribeiro.net

Também conhecida como Igreja de Santa Maria de Ribacoa, foi provavelmente construída no século XIII, em estilo românico. Ergue-se, isolada, na cota mais elevada da povoação, ao centro de um vasto recinto delimitado pela cerca e dominado por afloramentos rochosos. Tem planta longitudinal composta pela nave e pela capela-mor. Integra dois cruzeiros adossados.
Encontra-se em avançado estado de ruína desprovida de cobertura à exceção da capela lateral que conserva ainda o telhado de quatro águas.

info: arte.vmribeiro.net/?tag=castelo-mendo

Sepultura do Fidalgo

Sepultura do Fidalgo by VRfoto
Sepultura do Fidalgo, a photo by VRfoto on Flickr.

CASTELO MENDO (Portugal): Sepultura do Fidalgo.

vmribeiro.net

D. Miguel Augusto Mendonça, fidalgo da Casa Real, comendador das Ordens de Avis e de Nª Srª da Conceição foi assassinado pelos seus soldados a 12 de Setembro de 1840.

info: FALHAS, Susana. Aldeias Históricas de Portugal; Guia Turístico

domingo, 23 de fevereiro de 2014

Sepultura do Fidalgo

Sepultura do Fidalgo by VRfoto
Sepultura do Fidalgo, a photo by VRfoto on Flickr.

CASTELO MENDO (Portugal): Sepultura do Fidalgo.

vmribeiro.net

D. Miguel Augusto Mendonça, fidalgo da Casa Real, comendador das Ordens de Avis e de Nª Srª da Conceição foi assassinado pelos seus soldados a 12 de Setembro de 1840.

info: FALHAS, Susana. Aldeias Históricas de Portugal; Guia Turístico

sexta-feira, 21 de fevereiro de 2014

Ruínas da Porta do Castelinho

Ruínas da Porta do Castelinho by VRfoto
Ruínas da Porta do Castelinho, a photo by VRfoto on Flickr.

CASTELO MENDO (Portugal): Porta do Castelinho.

vmribeiro.net

Pelourinho de Castelo Mendo

Pelourinho de Castelo Mendo by VRfoto
Pelourinho de Castelo Mendo, a photo by VRfoto on Flickr.

CASTELO MENDO (Portugal): Pelourinho.

vmribeiro.net

A aldeia de Castelo Mendo recebeu a sua primeira carta de foral em 1186, outorgada por D. Sancho I, quando o monarca ordenou a reedificação do seu castelo, um importante ponto na linha de defesa das fronteiras nacionais na Idade Média. Na centúria seguinte, quando em 1239 D. Sancho II mandou ampliar as muralhas, era concedido novo foral à vila. Em 1281 D. Dinis outorgava carta de feira à vila - sendo esta provavelmente a primeira feira existente em Portugal -, e o concelho recebia novo foral em 1295.
Em 1510, durante as Reformas Manuelinas da administração local, o foral de Castelo Mendo foi renovado e o seu pelourinho terá sido edificado nessa época, sendo já representado nos desenhos de Duarte de Armas, realizados cerca de 1519. O concelho de Castelo Mendo seria extinto em 1855.
Classificado como pelourinho de gaiola, o pelourinho de Castelo Mendo assenta numa plataforma de seis degraus octogonais, sobre a qual assenta coluna de fuste octogonal, com base decorada por folhas estilizadas. O capitel, de secção circular em forma de cone invertido, funciona como base da gaiola, e possui anéis decorados por diversos motivos, nomeadamente correntes, cabos, denteados invertidos e florões. O conjunto da gaiola é composto por chapéu, assente em colunelo torso, decorado por pérolas. O colunelo central é circundado por seis colunelos torsos e anelados, sustentados por grampos de ferro. Como remate da gaiola foi colocado chapéu cónico, decorado por cordame na zona inferior. É encimado por cone, de menores dimensões, coroado por catavento em forma de bandeirola bipartida.
Catarina Oliveira

info: www.igespar.pt/en/patrimonio/pesquisa/geral/patrimonioimo...

quinta-feira, 20 de fevereiro de 2014

Pelourinho de Castelo Mendo

Pelourinho de Castelo Mendo by VRfoto
Pelourinho de Castelo Mendo, a photo by VRfoto on Flickr.

CASTELO MENDO (Portugal): Pelourinho.

vmribeiro.net

A aldeia de Castelo Mendo recebeu a sua primeira carta de foral em 1186, outorgada por D. Sancho I, quando o monarca ordenou a reedificação do seu castelo, um importante ponto na linha de defesa das fronteiras nacionais na Idade Média. Na centúria seguinte, quando em 1239 D. Sancho II mandou ampliar as muralhas, era concedido novo foral à vila. Em 1281 D. Dinis outorgava carta de feira à vila - sendo esta provavelmente a primeira feira existente em Portugal -, e o concelho recebia novo foral em 1295.
Em 1510, durante as Reformas Manuelinas da administração local, o foral de Castelo Mendo foi renovado e o seu pelourinho terá sido edificado nessa época, sendo já representado nos desenhos de Duarte de Armas, realizados cerca de 1519. O concelho de Castelo Mendo seria extinto em 1855.
Classificado como pelourinho de gaiola, o pelourinho de Castelo Mendo assenta numa plataforma de seis degraus octogonais, sobre a qual assenta coluna de fuste octogonal, com base decorada por folhas estilizadas. O capitel, de secção circular em forma de cone invertido, funciona como base da gaiola, e possui anéis decorados por diversos motivos, nomeadamente correntes, cabos, denteados invertidos e florões. O conjunto da gaiola é composto por chapéu, assente em colunelo torso, decorado por pérolas. O colunelo central é circundado por seis colunelos torsos e anelados, sustentados por grampos de ferro. Como remate da gaiola foi colocado chapéu cónico, decorado por cordame na zona inferior. É encimado por cone, de menores dimensões, coroado por catavento em forma de bandeirola bipartida.
Catarina Oliveira

info: www.igespar.pt/en/patrimonio/pesquisa/geral/patrimonioimo...

Pelourinho de Castelo Mendo

Pelourinho de Castelo Mendo by VRfoto
Pelourinho de Castelo Mendo, a photo by VRfoto on Flickr.

CASTELO MENDO (Portugal): Pelourinho.

vmribeiro.net

A aldeia de Castelo Mendo recebeu a sua primeira carta de foral em 1186, outorgada por D. Sancho I, quando o monarca ordenou a reedificação do seu castelo, um importante ponto na linha de defesa das fronteiras nacionais na Idade Média. Na centúria seguinte, quando em 1239 D. Sancho II mandou ampliar as muralhas, era concedido novo foral à vila. Em 1281 D. Dinis outorgava carta de feira à vila - sendo esta provavelmente a primeira feira existente em Portugal -, e o concelho recebia novo foral em 1295.
Em 1510, durante as Reformas Manuelinas da administração local, o foral de Castelo Mendo foi renovado e o seu pelourinho terá sido edificado nessa época, sendo já representado nos desenhos de Duarte de Armas, realizados cerca de 1519. O concelho de Castelo Mendo seria extinto em 1855.
Classificado como pelourinho de gaiola, o pelourinho de Castelo Mendo assenta numa plataforma de seis degraus octogonais, sobre a qual assenta coluna de fuste octogonal, com base decorada por folhas estilizadas. O capitel, de secção circular em forma de cone invertido, funciona como base da gaiola, e possui anéis decorados por diversos motivos, nomeadamente correntes, cabos, denteados invertidos e florões. O conjunto da gaiola é composto por chapéu, assente em colunelo torso, decorado por pérolas. O colunelo central é circundado por seis colunelos torsos e anelados, sustentados por grampos de ferro. Como remate da gaiola foi colocado chapéu cónico, decorado por cordame na zona inferior. É encimado por cone, de menores dimensões, coroado por catavento em forma de bandeirola bipartida.
Catarina Oliveira

info: www.igespar.pt/en/patrimonio/pesquisa/geral/patrimonioimo...

Claustro do convento de San Benito

ALCÁNTARA (Espanha): Claustro do convento de San Benito.

vmribeiro.net

quinta-feira, 13 de fevereiro de 2014

Claustro do convento de San Benito

ALCÁNTARA (Espanha): Claustro do convento de San Benito.

vmribeiro.net

Claustro do convento de San Benito

ALCÁNTARA (Espanha): Claustro do convento de San Benito.

Convento de San Benito

Convento de San Benito by VRfoto
Convento de San Benito, a photo by VRfoto on Flickr.

ALCANTARA (Espanha): Convento de San Benito.

Trata-se da antiga sede da Ordem Militar de Alcántara. Foi construído no século XVI, numa mistura de estilos: gótico, renascentista e plateresco. O claustro tem dois pisos em estilo gótico. No interior destacam-se a Capela-mor e a Capela de Bravo de Jerez. Atualmente é a sede da Fundação de San Benito de Alcántara e lugar de encontro de múltiplas atividades.

quarta-feira, 12 de fevereiro de 2014

segunda-feira, 10 de fevereiro de 2014

Forno comunitário de Tourém

Forno comunitário de Tourém by VRfoto
Forno comunitário de Tourém, a photo by VRfoto on Flickr.

TOURÉM (Portugal): Forno comunitário.

See where this picture was taken. [?]

Trata-se de uma construção que tem por base uma planta sub-rectangular e uma cobertura de telhado de duas águas composto por lajes de granito1 . A estrutura é reforçada por contrafortes de pedra de cantaria na parte exterior e de secção rectangular que sustentam os três arcos de volta perfeita, do interior, que sustentam a cobertura.

Na ombreira de um nicho interior possui desenhado na pedra a data de 1868, embora o tipo de arquitectura desta construção permita afirmar que a mesma é mais antiga. A porta de entrada foi aberta entre o cunhal do edifício e o primeiro contraforte, e apresenta uma verga recta.

Na frente do edifício, junto à entrada, existe, encostada às paredes, uma banca de tender o pão de grandes proporções, em pedra maciça com um frontal em alvenaria. Do lado direito da construção e sobre uma plataforma (lar) encontra-se o forno propriamente dito que tem uma câmara em pavimento de lajes e tecto abobadado.

vmribeiro.net/

sábado, 8 de fevereiro de 2014

Ponte romana sobre o rio Erges

Ponte romana sobre o rio Erges by VRfoto
Ponte romana sobre o rio Erges, a photo by VRfoto on Flickr.

SEGURA (Portugal): Ponte Romana de Segura, sobre o rio Erges.

vmribeiro.net

Apesar do tabuleiro ter sido reconstruído, mantém a estrutura base de origem romana.

info: www.vector99.xtreemhost.com/photo/index.php/architecture/...

Ponte romana sobre o rio Erges

Ponte romana sobre o rio Erges by VRfoto
Ponte romana sobre o rio Erges, a photo by VRfoto on Flickr.

SEGURA (Portugal): Ponte Romana de Segura, sobre o rio Erges.

vmribeiro.net

Apesar do tabuleiro ter sido reconstruído, mantém a estrutura base de origem romana.

info: www.vector99.xtreemhost.com/photo/index.php/architecture/...

quarta-feira, 5 de fevereiro de 2014

Ruínas da capela de S. Migue

Ruínas da capela de S. Migue by VRfoto
Ruínas da capela de S. Migue, a photo by VRfoto on Flickr.

MONSANTO (Portugal): Ruínas da capela de S. Miguel.

vmribeiro.net

De estilo românico, preserva a porta principal com arquivoltas de volta perfeita assentes sobre capitéis, com motivos zoomórficos. Embora sem cobertura, ainda existe o arco triunfal que separava a nave interior da capela-mor. Junto à cornija da capela, detetam-se ainda as cachorradas originais com motivos variados, entre os quais os fálicos. E redor da capela, há um conjunto de sepulturas antropomórficas, de vários tamanhos, provavelmente utilizados entre os séc. VI e IX.

info:FALHAS, Susana; Aldeias históricas de Portugal (Guia Turístico).

Newest photos from the portfolio of Vector99

Search photos: by: Vector

VR Stock Photo

vmribeiro's gallery