segunda-feira, 31 de março de 2014

Ruínas do Palácio de Cristóvão de Moura


CASTELO RODRIGO (Portugal): Ruínas do Palácio de Cristóvão de Moura.

vmribeiro.net

No início do século XVI, reconstruiu-se a torre de menagem e, em 1508, o monarca enviou Mateus Fernandes e Álvaro Pires para avaliar do estado da fortaleza. No final do século, em 1594, Filipe I elevou a localidade a condado, legando o título a Cristóvão de Moura.

Cristóvão de Moura, que chegou a ser vice-rei de Portugal, mandou erguer para sua residência, em 1590, no lugar da antiga alcáçova, um palácio de estilo maneirista, cercado por muros reforçados por cubelos, ornado com uma porta em estilo gótico.

Após 1640, com a Restauração da Independência, o paço foi arrasado pela população, que o via como uma marca do domínio espanhol, mesmo tendo o seu promotor falecido há quase três décadas, permanecendo em ruínas até à actualidade.

Com relevância militar ainda nos séculos XVIII e XIX, o Palácio foi parcialmente restaurado na década de 40 do século XX, mas só muito recentemente foi alvo de um programa global de intervenção.

info: www.espirito-de-aventura.iblogger.org/Aldeias/Castelo_Rod...


Interior da Igreja de Santa Maria do Castelo



CASTELO MENDO (Portugal): Interior da Igreja de Santa Maria do Castelo.

vmribeiro.net

O espaço interior, já desprovido de cobertura, apresenta uma nave segmentada mais ou menos a meio por uma parede transversal, onde foi inserida uma porta de lintel reto, encimada por uma fresta. No espaço junto ao portal observa-se uma pia de água benta semicircular e, no lado oposto, jaz a pia batismal de forma semiesférica e, ao lado, observa-se a base de uma coluna com motivos vegetalistas estilizados nos ângulos. No espaço mais próximo do arco triunfal conserva-se a base quadrada do púlpito e respetiva escada. O arco triunfal é quebrado e lateralmente existem ainda as mesas dos altares colaterais.

info: arte.vmribeiro.net/?s=mendo

Ruínas do Palácio de Cristóvão de Moura


CASTELO RODRIGO (Portugal): Ruínas do Palácio de Cristóvão de Moura.

No início do século XVI, reconstruiu-se a torre de menagem e, em 1508, o monarca enviou Mateus Fernandes e Álvaro Pires para avaliar do estado da fortaleza. No final do século, em 1594, Filipe I elevou a localidade a condado, legando o título a Cristóvão de Moura.

Cristóvão de Moura, que chegou a ser vice-rei de Portugal, mandou erguer para sua residência, em 1590, no lugar da antiga alcáçova, um palácio de estilo maneirista, cercado por muros reforçados por cubelos, ornado com uma porta em estilo gótico.

Após 1640, com a Restauração da Independência, o paço foi arrasado pela população, que o via como uma marca do domínio espanhol, mesmo tendo o seu promotor falecido há quase três décadas, permanecendo em ruínas até à actualidade.

Com relevância militar ainda nos séculos XVIII e XIX, o Palácio foi parcialmente restaurado na década de 40 do século XX, mas só muito recentemente foi alvo de um programa global de intervenção.

info: www.espirito-de-aventura.iblogger.org/Aldeias/Castelo_Rod...

Igreja de N. Senhora do Rocamador, matriz de Castelo Rodrigo

 matriz de Castelo Rodrigo
CASTELO RODRIGO (Portugal): Igreja de N. Senhora do Rocamador, matriz de Castelo Rodrigo.

vmribeiro.net

Situada na vila sede de concelho, esta igreja tem uma fachada e um altar-mor de estilo barroco setecentista. Apresenta um arco abatido que dizem ser único em Portugal.

domingo, 30 de março de 2014

Igreja de N. Senhora do Rocamador


CASTELO RODRIGO (Portugal): Igreja de N. Senhora do Rocamador, matriz de Castelo Rodrigo.

vmribeiro.net

Situada na vila sede de concelho, esta igreja tem uma fachada e um altar-mor de estilo barroco setecentista. Apresenta um arco abatido que dizem ser único em Portugal.

sexta-feira, 28 de março de 2014

Cisterna



CASTELO RODRIGO (Portugal): Cisterna (séc. XIII).

vmribeiro.net

Marcada pela presença moura, o seu arco em ferradura não engana, é considerada "a mais setentrional prova arquitetónica muçulmana em Portugal". Possui planta retangular irregular, com três fachadas cegas e a fachada principal rasgada por dois portais, não tendo cobertura. O interior apresenta um espaço único, sendo destinado a reservatório de águas.

quarta-feira, 26 de março de 2014

Rua da Cadeia



CASTELO RODRIGO (Portugal): Rua da Cadeia.

http://vmribeiro.net

De destacar o conjunto de casas manuelinas datadas da primeira metade do século XVI.

terça-feira, 25 de março de 2014

Castelo Rodrigo

CASTELO RODRIGO (Portugal)

http://vmribeiro.net

Castelo Rodrigo

Castelo Rodrigo by VRfoto
Castelo Rodrigo, a photo by VRfoto on Flickr.

CASTELO RODRIGO (Portugal): Aldeia histórica de Castelo Rodrigo.

vmribeiro.net

Aldeia medieval, erguida no topo de uma colina isolada, a 820 metros de altitude, oferece uma esplêndida vista sobre os campos e serras em redor. Esta antiga vila fortificada, totalmente recuperada no âmbito do Programa de Recuperação de Aldeias Históricas, guarda vestígios de ocupação humana que remontam ao Paleolítico. Ainda que a sede do município tenha passado para Figueira de Castelo Rodrigo, a povoação continua a apresentar sobejos motivos de interesse, tais como a igreja matriz, fundada pelos frades hospitalários em 1192 e dedicada a Nossa Senhora do Rocamador; a cisterna, servida por duas portas, uma gótica e outra mourisca; o pelourinho e o relógio instalado sobre um antigo torreão. Já as ruínas do castelo revelam a raiva da população quando, no final do reinado de Filipe II, incendiou o antigo palácio de Cristóvão de Moura, um dos defensores da legitimidade espanhola por terras lusas.

info: www.lifecooler.com/artigo/passear/castelo-rodrigo-aldeia-...

segunda-feira, 24 de março de 2014

Capela-mor da Igreja de S. João Batista, Moura

MOURA (Portugal): Capela-mor da Igreja de S. João Batista, matriz de Moura.

See where this picture was taken. [?]

O interior do templo é marcado pela sobriedade da arquitetura. É harmoniosa e serena a forma como se conjuga a arcaria gótica, assente em colunas com capitéis coroados, com os azulejos seiscentistas das capelas da abside, as credências da capela-mor, as abóbadas das capelas e as chaves da central, trabalhada com ornatos manuelinos, bem assim como os azulejos hispano-árabes dos frontais dos altares.Merecem o nosso olhar atento a pia batismal, aberta em espirais, e o púlpito de mármore que contém, na base, a melhor decoração estilizada de motivos naturais do gótico final.

info: www.infopedia.pt/$igreja-matriz-de-moura

Solar dos Saraivas, ou Casa do Fidalgo

VILAR TORPIM (Portugal): Solar dos Saraivas, ou Casa do Fidalgo.

vmribeiro.net

Mandado edificar em meados do século XVIII pela família Quevedo, o Solar dos Saraivas, também conhecido como Casa do Fidalgo, apresenta uma estrutura muito diferenciada dos solares barrocos construídos na mesma época. De planta rectangular, desenvolvida horizontalmente, destaca-se a sobriedade decorativa do conjunto. A fachada principal, marcada pela repetição de janelas a espaços regulares, possui como elementos de maior sumptuosidade os dois portais, um no extremo esquerdo, que permite entrada para armazéns e adega, e o portal principal, ao centro da fachada.

Solar dos Saraivas, ou Casa do Fidalgo

VILAR TORPIM (Portugal): Solar dos Saraivas, ou Casa do Fidalgo.

vmribeiro.net

Mandado edificar em meados do século XVIII pela família Quevedo, o Solar dos Saraivas, também conhecido como Casa do Fidalgo, apresenta uma estrutura muito diferenciada dos solares barrocos construídos na mesma época. De planta rectangular, desenvolvida horizontalmente, destaca-se a sobriedade decorativa do conjunto. A fachada principal, marcada pela repetição de janelas a espaços regulares, possui como elementos de maior sumptuosidade os dois portais, um no extremo esquerdo, que permite entrada para armazéns e adega, e o portal principal, ao centro da fachada.
O edifício encontra-se dividido em dois registos, o primeiro com doze compartimentos destinados a armazéns, o segundo, o andar nobre, com dez divisórias. A fachada possui, no primeiro registo, cinco janelos. O portal lateral, em arco abatido, é ladeado por pilastras que se prolongam ao registo superior rematadas por urnas. O portal principal, também em arco abatido com impostas salientes e pedra de fecho em forma de voluta, é ladeado por pilastras caneladas, com capitéis simples, que se prolongam ao registo superior. Sobre o portal foi colocada pedra de armas do Barão de Vilar Torpim, Francisco José Pereira. O segundo registo da fachada possui oito janelas de sacada, cinco com guarda de ferro e as restantes três, duas que ladeiam o portal principal e uma que encima o portal lateral, com varandim de ferro e cornija. A fachada é rematada por empena recta com cornija.
O alçado lateral esquerdo possui no segundo registo uma loggia , com quatro arcos de volta perfeita assentes em pilastras, precedida por balcão corrido.
No primeiro registo do alçado posterior foram construídas escadas, ladeadas por janelas rectangulares. O segundo registo possui três janelas de moldura recta e porta antecedida por balcão coberto. No extremo direito foi adossado anexo que, através de arco abatido, dá acesso a lanço de escadas que conduz ao andar nobre.
Em 1844, durante o pronunciamento militar de Torres Novas, na época em que a praça de Almeida foi ocupada pelas tropas revoltosas comandadas pelo General Conde de Bonfim, o Exército da Coroa estabeleceu quartel-general em Vilar Torpim, utilizando a Casa do Fidalgo para instalar o seu hospital, no segundo piso, e a prisão, nos armazéns do primeiro piso.
Catarina Oliveira

info: www.igespar.pt/pt/patrimonio/pesquisa/geral/patrimonioimo...

Almeida

Almeida by VRfoto
Almeida, a photo by VRfoto on Flickr.

ALMEIDA (Portugal)

vmribeiro.net

quarta-feira, 19 de março de 2014

Quartel das Esquadras

Quartel das Esquadras by VRfoto
Quartel das Esquadras, a photo by VRfoto on Flickr.

ALMEIDA (Portugal): Quartel das Esquadras.

vmribeiro.net

Com as suas arcadas de estilo barroco, era o Quartel da Infantaria. Atualmente, acolhe as instalações da GNR e as respetivas famílias, no andar de cima.

info: FALHAS, Susana. Aldeias Históricas de Portugal; Guia Turístico

Arte urbana

Arte urbana by VRfoto
Arte urbana, a photo by VRfoto on Flickr.

MATOSINHOS (Portugal)

vmribeiro.net

Estendal

Estendal by VRfoto
Estendal, a photo by VRfoto on Flickr.

ALMEIDA (Portugal)

vmribeiro.net

sábado, 8 de março de 2014

Igreja de Nossa Senhora da Assunção / Igreja Matriz de Castelo Bom

CASTELO BOM (Portugal): Igreja de Nossa Senhora da Assunção / Igreja Matriz de Castelo Bom.

vmribeiro.net

Antes desta igreja havia outra, medieval, da qual nada subsiste. A igreja, conforme se conhece hoje, foi sendo progressivamente reconstruída e reformada, principalmente, no período maneirista, altura em que foram criados vários volumes. No interior, os destaques são vários: a nave de cinco tramos com cobertura de madeira, o batistério, o púlpito de madeira e os retábulos de talha dourada do estilo nacional.

info: www.igogo.pt/igreja-de-nossa-senhora-da-assuncao-igreja-m...

Aldeia de Castelo Bom

Aldeia de Castelo Bom by VRfoto
Aldeia de Castelo Bom, a photo by VRfoto on Flickr.

CASTELO BOM (Portugal): Aldeia de Castelo Bom.

vmribeiro.net

Encontra-se sobranceiro ao rio Côa, num cabeço a 725 m de altitude e cuja muralha envolve a povoação. Oriundo de um antigo castro ocupado desde a Idade do Bronze, Castelo Bom vê-se incorporado no reino de Portugal, em 1297, como consequência do Tratado de Alcañices. Nos séc.s XIII e XIV acontece a reedificação do castelo e cintura muralhada (D. Dinis). No séc. XVI, possuía dupla cintura de muralhas, Cidadela com Torre de Menagem e duas Torres de planta quadrada.


info: www.turismoserradaestrela.pt/index.php/pt/rotas-turistica...

quinta-feira, 6 de março de 2014

Aldeia de Castelo Bom

Aldeia de Castelo Bom by VRfoto
Aldeia de Castelo Bom, a photo by VRfoto on Flickr.

CASTELO BOM (Portugal): Aldeia de Castelo Bom.

vmribeiro.net

Encontra-se sobranceiro ao rio Côa, num cabeço a 725 m de altitude e cuja muralha envolve a povoação. Oriundo de um antigo castro ocupado desde a Idade do Bronze, Castelo Bom vê-se incorporado no reino de Portugal, em 1297, como consequência do Tratado de Alcañices. Nos séc.s XIII e XIV acontece a reedificação do castelo e cintura muralhada (D. Dinis). No séc. XVI, possuía dupla cintura de muralhas, Cidadela com Torre de Menagem e duas Torres de planta quadrada.

Durante as Guerras da Restauração serviu de abrigo aos Governantes da Beira.

Em 1762, a Vila foi cercada e derrotada. Em 1834, foi extinto o concelho de Castelo Bom, iniciando-se então a degradação das estruturas. Em meados do século XX ainda existia a Torre de Menagem.

Existem hoje os panos da muralha; a Porta da Vila, em arco quebrado no exterior e arco pleno no interior; o brasão da antiga vila (escudo nacional coroado) num muro e a Cisterna, a Sul; o Paiol, a Oeste; o Poço de Escada, de planta quadrangular e o Poço d' El-Rei, de planta rectangular.

info: www.turismoserradaestrela.pt/index.php/pt/rotas-turistica...

terça-feira, 4 de março de 2014

Igreja de Santa Maria do Castelo

CASTELO MENDO (Portugal): Igreja de Santa Maria do Castelo.

Igreja de Santa Maria do Castelo

CASTELO MENDO (Portugal): Igreja de Santa Maria do Castelo.

vmribeiro.net

Igreja de Santa Maria do Castelo

CASTELO MENDO (Portugal): Igreja de Santa Maria do Castelo.

vmribeiro.net

Edificada provavelmente na primeira metade do século XIII, o templo encontra-se já representado nos desenhos de Duarte de Armas (séc. XVI). No século XVI construiu-se a capela lateral. Os acrescentos continuaram até à segunda metade do séc. XVIII. No século XIX a paróquia foi extinta, tendo-se iniciado aí a sua ruína.
A fachada principal, orientada a Oeste, apresenta um portal em arco pleno com duas arquivoltas e impostas salientes molduradas. Acede-se ao portal através de dois lanços de degraus de sentido oposto, formando patamar central. Sobre o portal observam-se quatro mísulas alinhadas. O campanário, de dupla abertura sineira e remate reto, encontra-se colocado no eixo da porta, cortando a empena angular.

info: arte.vmribeiro.net/?s=mendo

segunda-feira, 3 de março de 2014

Igreja de Santa Maria do Castelo

CASTELO MENDO (Portugal): Igreja de Santa Maria do Castelo.

vmribeiro.net

Edificada provavelmente na primeira metade do século XIII, o templo encontra-se já representado nos desenhos de Duarte de Armas (séc. XVI). No século XVI construiu-se a capela lateral. Os acrescentos continuaram até à segunda metade do séc. XVIII. No século XIX a paróquia foi extinta, tendo-se iniciado aí a sua ruína.
A fachada principal, orientada a Oeste, apresenta um portal em arco pleno com duas arquivoltas e impostas salientes molduradas. Acede-se ao portal através de dois lanços de degraus de sentido oposto, formando patamar central. Sobre o portal observam-se quatro mísulas alinhadas. O campanário, de dupla abertura sineira e remate reto, encontra-se colocado no eixo da porta, cortando a empena angular.

info: arte.vmribeiro.net/?s=mendo

Newest photos from the portfolio of Vector99

Search photos: by: Vector

VR Stock Photo

vmribeiro's gallery