sábado, 29 de novembro de 2014

Praça de Santiago, em Guimarães

GUIMARÃES (Portugal): Praça de Santiago.

quinta-feira, 27 de novembro de 2014

Ponte Luís I

PORTO (Portugal)

segunda-feira, 17 de novembro de 2014

Lago de Sanabria

PUEBLA DE SANABRIA (Espanha): Lago de Sanabria.

O Parque Natural do Lago de Sanábria, criado em 1978, situa-se no extremo noroeste da Província de Zamora, no limite com a Galiza e Portugal, bem perto do Parque Natural do Montezinho. Abrange uma paisagem que foi modelada pela acção dos glaciares da Era Quaternária. Desde os seus altos cumes (Peña Tre-vinca - 2124m) desprenderam-se várias línguas glaciáricas de impressionante tamanho que ao retroceder, deixaram a descoberto profundos vales em U, moreias e um importante conjunto de lagos. De entre eles destaca-se o Lago de Sanabria. Com uma área de superfície de 368 ha, é o maior lago glaciar da Península Ibérica.

sexta-feira, 14 de novembro de 2014

Santuário de Nossa Senhora do Pilar



PÓVOA DE LANHOSO (Portugal): Santuário de Nossa Senhora do Pilar.

O Santuário de Nossa Senhora do Pilar é um santuário de devoção mariana situado no Monte do Pilar, concelho da Póvoa de Lanhoso. Este Santuário possui uma Via Cruz formada por dez Calvários, cinco dos quais de via-sacra, que são construções em granito grosso da região, pilastras de cantaria aparelhada, de paredes de alvenaria revestida e caiada. Não são todas da mesma arquitectura e não seguem uma ordem lógica a par dos evangelhos com esculturas de madeira policromada que representam cenas do Monte Gólgota, relacionadas com a crucificação de Jesus Cristo.
O Santuário da Nossa Senhora do Pilar é inspirado na igreja da Nossa Sra. do Pilar em Vila Nova de Gaia, mandado construir por um comerciante abastado, André da Silva Machado, natural da Póvoa de Lanhoso, Valdemil e que mandou edificar no ano de 1860 esta igreja.

info: www.atpl.pt/?n=santuario_de_n_sr_do_pilar&cod=15&...

quarta-feira, 12 de novembro de 2014

Santuário de Nossa Senhora do Pilar



PÓVOA DE LANHOSO (Portugal): Santuário de Nossa Senhora do Pilar.

O Santuário de Nossa Senhora do Pilar é um santuário de devoção mariana situado no Monte do Pilar, concelho da Póvoa de Lanhoso. Este Santuário possui uma Via Cruz formada por dez Calvários, cinco dos quais de via-sacra, que são construções em granito grosso da região, pilastras de cantaria aparelhada, de paredes de alvenaria revestida e caiada. Não são todas da mesma arquitectura e não seguem uma ordem lógica a par dos evangelhos com esculturas de madeira policromada que representam cenas do Monte Gólgota, relacionadas com a crucificação de Jesus Cristo.
O Santuário da Nossa Senhora do Pilar é inspirado na igreja da Nossa Sra. do Pilar em Vila Nova de Gaia, mandado construir por um comerciante abastado, André da Silva Machado, natural da Póvoa de Lanhoso, Valdemil e que mandou edificar no ano de 1860 esta igreja.

info: www.atpl.pt/?n=santuario_de_n_sr_do_pilar&cod=15&...

segunda-feira, 10 de novembro de 2014

Forte ou Castelo de Santiago da Barra



VIANA DO CASTELO (Portugal): Forte ou Castelo de Santiago da Barra.

Viana da Foz do Lima era em meados do século XV um dos grandes portos marítimos portugueses, mantendo contactos comerciais com Galiza, Flandres e França. Quando ao longo de toda a centúria de Quinhentos a vila conheceu um período de crescimento económico, aumentando a sua população e alargando o perímetro urbano, a capacidade defensiva das muralhas medievais tornou-se insuficiente, sobretudo no que respeitava à barra do rio Lima. Assim, D. Manuel mandou construir, cerca de 1502, uma pequena fortaleza abaluartada no campo de Santa Catarina, situado no extremo oeste da vila, que passaria a ser designada como Torre da Roqueta. Esta fortaleza levanta inúmeras questões quanto à sua construção, uma vez que a Roqueta terá possuído um baluarte prolongado para o rio, destruída em campanhas de obras posteriores (MOREIRA, Rafael, 1991). Desta forma, a torre teria a mesma tipologia da fortaleza construída em Belém por ordem de D. Manuel, e ao confirmar-se a construção da Roqueta vianense antes de 1515, este exemplar reveste-se da maior importância na história da arquitectura militar portuguesa, uma vez que terá sido um protótipo para a edificação da torre lisboeta.
Em 1568, já depois de D. Sebastião ter outorgado a Viana o título de notável, a Câmara de Viana decidiu construir na entrada marítima da vila um forte que proporcionasse uma melhor defesa da barra do Lima. Entre 1568 e 1572 é construído junto à Torre da Roqueta um pequeno forte de planta rectangular que aproveitava a fortaleza manuelina como cunhal sudoeste da sua muralha. Durante o reinado de Filipe I o forte de Viana foi completamente remodelado e ampliado; em 1589, por ordem do monarca, iniciaram-se as obras de construção da fortaleza de Santiago, segundo renovadas técnicas de arquitectura militar, prolongando-se a sua construção até 1596. O forte voltaria a receber obras de remodelação entre 1652 e 1654, a mando de D. Diogo de Lima, governador de armas de Entre Douro e Minho, e em 1700 foi cavado um fosso à volta dos panos da muralha virados a terra. Actualmente o Forte de Santiago da Barra é sede da Região de Turismo do Alto Minho.
Traçado por Filippo Terzi, o Forte de Santiago é uma edificação de planta poligonal constituída por muralhas de perfil trapezoidal, reforçadas por baluartes triangulares nos vértices voltados a terra, havendo com guaritas de planta circular nos cunhais. A entrada na fortaleza é feita por ponte larga sobre o fosso que a circunda, conduzindo a um portal de arco de volta perfeita ladeado por pilastras, encimado pelo brasão de D. João de Sousa, governador do forte em 1700, e rematado na cornija pelo escudo de Portugal. No interior do forte, ao qual se tem acesso por um corredor abobadado, pode ver-se ao fundo o edifício principal, de planta rectangular de três registos com alçado ritmado por três portais, sendo o principal enquadrado por arco de volta perfeita rematado com cartela e ladeado por colunas encimadas por balaústres em meio relevo, rematado pelo escudo real. Os portais laterais são de moldura em arco de volta perfeita sem decoração. Ao longo de toda a fachada foram abertas janelas em ambos os registos. O edifício possui ainda janelas de mansarda. A norte situa-se a Capela da Santiago, de planta longitudinal, com capela-mor rectangular e frontispício terminado em empena, com sineira à direita. Fronteiro a esta situa-se o paiol, edifício de planta quadrangular de um registo, com portal de volta perfeita encimado pelo escudo de Portugal e rematado em empena triangular. Integrada na zona sudoeste da fortaleza, situada num terraço que se forma no segundo registo, ergue-se a Torre da Roqueta, com entrada pelo adarve, através de rampa. Flanqueada exteriormente com quatro pequenas torres e rodeada por um pequeno fosso, a Roqueta possui corpo rectangular com dois registos, um terraço com adarves e as armas do rei D. Manuel esculpidas na fachada.
Catarina Oliveira
IPPAR/2003

info: www.patrimoniocultural.pt/pt/patrimonio/patrimonio-imovel...

Newest photos from the portfolio of Vector99

Search photos: by: Vector

VR Stock Photo

vmribeiro's gallery